Hoje em dia, a mulher é a grande responsável por determinar se vai querer ou não engravidar e quando fará isso, pois com a ajuda dos métodos contraceptivos ficou mais fácil se programar e, ainda, se proteger das doenças sexualmente transmissíveis.

A pílula anticoncepcional e a camisinha são alguns dos métodos contraceptivos que estão no mercado. A função do anticoncepcional é evitar uma gravidez, já a camisinha feminina quanto masculina protege o corpo de ter contato com outras doenças oriundas da prática sexual.

Como tomar anticoncepcional

Uma opção muito aceita pelas mulheres atualmente em substituição a pílula tem sido o anticoncepcional injetável. Ele deve ser injetado no corpo em um intervalo de 30 ou 90 dias e o procedimento só deve ser feito por um médico ginecologista ou enfermeira(o) no posto de saúde.

É fundamental tomar esse método contraceptivo sempre no mesmo dia uma vez por mês ou a cada 90 dias.

Melhor anticoncepcional

Não há como definir qual é o melhor anticoncepcional, pois cada um pode ter um efeito colateral diferente. Por esse motivo, o indicado é testar seguindo uma recomendação médica para que a mulher se sinta bem e juntamente com o médico decidam qual será o remédio escolhido.

Um fator que pode ajudar nessa escolha, levando em consideração os efeitos colaterais, é a maneira como esses métodos contraceptivos são usados, pois há anticoncepcional oral, injetável, adesivo, intra útero e subcutâneo.

Pílula Anticoncepcional

No mercado, existem diversos métodos contraceptivos que as mulheres podem usar, porém a pílula anticoncepcional é ainda a mais conhecida.

O indicado é que antes mesmo de fazer a escolha por um ou outro tipo, o recomendável é buscar a ajuda de um médico, pois o funcionamento dos métodos contraceptivos variam de uma mulher para outra e os efeitos colaterais podem ser fortes ou fracos. 

As pílulas são compostas por hormônios chamados de progesterona e estrogênio e se tomadas de maneira correta, isso quer dizer, todos os dias no mesmo horário, a eficácia dela é de 95%.

Estão no mercado diversos tipos de pílulas de diferentes marcas, elas têm quase os mesmos níveis de hormônio que são os grandes responsáveis pelos efeitos colaterais.

A mulher que toma deve saber que dentre todos os métodos contraceptivos, a pílula não é um meio para fazer aborto e nem protege contra as doenças sexualmente transmissíveis.

Na maioria das farmácias, a pílula é encontrada em cartela com 21 comprimidos que devem ser tomados durante 21 dias seguidos e depois, é preciso fazer uma pausa de 7 dias para que haja a menstruação. Depois disso, é só voltar a tomar a pílula no 8º dia após a pausa no mesmo horário.

Dentre todos os métodos contraceptivos, a pílula anticoncepcional é a opção mais barata e de mais fácil acesso, sem contar que ela é muito eficiente. Contudo, caso a mulher seja indisciplinada, a chance de esquecimento é bem grande, aumentando o risco da gravidez.

Independentemente do método que será escolhido, o melhor é sempre buscar, primeiramente, a ajuda de um profissional.